e-Social
Junho 5, 2019
Tabagismo
Junho 5, 2019

Ruído: Entende-se como ruído toda interferência desagradável que causa poluição sonora, geralmente são barulhos ou ruídos não desejados que estão relacionados à percepção auditiva.

A sigla PAIR refere-se à Perda Auditiva Induzida por Ruído, que é considerada uma doença ocupacional. Segundo o Ministério da Saúde, ela trata-se de uma redução da acuidade auditiva que acontece gradualmente e ocorre devido à exposição prolongada de pressão sonora. Pode atingir ambos os ouvidos, considerada uma perda auditiva bilateral. Vale ressaltar que se trata de uma condição irreversível, ou seja, não há cura para a PAIR.

A perda auditiva induzida por ruído uma vez instalada no indivíduo não tem cura, o que pode ser evitado é que a doença evolua. A PAIR tem vários agentes causadores, como o ruído industrial, produtos químicos (solventes, metais, asfixiantes entre outros). Segundo estudiosos, a PAIR surgiu há muitos anos em decorrência de fatos históricos, por exemplo, na Idade Média na China, a descoberta da pólvora e sua utilização provocaram a PAIR em várias pessoas, bem como a surdez dos ferroviários e tecelões na época da Revolução Industrial.

O principal sintoma da PAIR é a redução da capacidade auditiva do trabalhador, ou seja, a perda gradual da eficiência auditiva, bem como outros sintomas que são: zumbidos, dificuldade de compreensão de diálogos, necessidade de ouvir rádio, tv e música em volumes elevados, dores de cabeça, alteração do sono, etc.

• Apresenta perda neurossensorial irreversível, com predominância coclear;
• Exposição prolongada a níveis de ruídos superiores a 85 dB (8 horas);
• Perda gradual ao longo de 6 a 10 anos;
• inicia-se nas frequências altas;
• estabiliza quando para a exposição ao ruído

PREVENÇÃO
Como a PAIR é uma doença relacionada ao trabalho, a empresa deve oferecer as medidas preventivas, que são o controle de ruído, buscando alternativas para reduzi-los, como adequar acústica das paredes, isolar máquinas, realizar manutenção frequente das máquinas e equipamentos, além da redução da jornada de trabalho quando não há possibilidades de redução do ruído.

O ideal é que todas as pessoas busquem a prevenção da PAIR, podendo ser realizada através dos Programas de Conservação Auditiva (PCA) que inclui o equipamento de proteção individual e o protetor auditivo. Ressalta-se que ao escolher os tipos e modelos de protetores alguns aspectos devem ser levados em conta como:

• Grau de conforto proporcionado pelo equipamento;
• Facilidade de colocação, manuseio e manutenção;
• Capacidade de atenuação do ruído;
• Vida útil;
• Custo do produto.

TRATAMENTO
A PAIR é uma condição irreversível, sendo assim o tratamento é direcionado à melhora da qualidade de vida e a prevenção de piora do quadro, não à cura ou recuperação da audição

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *